Dia Internacional da Memória do Tráfico Negreiro

IMAGEM 1 - Essa imagem é um dos primeiros registros de Africanos sendo resgatados de um navio negreiro pela Marinha Real Britânica. Imagem cortesia dos Arquivos Nacionais Britânicos, Serviço de Arquivos Públicos, Londres.


IMAGEM 2 - Imagem de um navio negreiro (JOVENS E CRIANÇAS)

Sabe-se que as práticas de subordinação existiam muito antes do tráfico de pessoas africanas e que ocorriam em todas as partes do mundo, sendo relações de poder entre as pessoas e entre os povos e que isso já era péssimo e descabido, pois não existe e nunca existiu ninguém superior a ninguém e nenhum povo tem o direito de dominar outro.

O que ocorreu foi uma estratégia de transformar aquelas práticas impostas à época em algo altamente lucrativo, deixando de se objetificar as pessoas negras como dominadas e subordinadas em determinados casos e passando a ser consideradas como categoria de mercadoria, objetos de comércio.

No tráfico negreiro havia cerca de 500% de lucro para os comerciantes dos corpos negros, por isso não se importavam com o percentual de aproximadamente 25% de mortes de pessoas escravizadas durante o trajeto em cada viagem de navio negreiro pelo mundo, pois como se pode observar era um negócio altamente lucrativo, não obstante ser absolutamente desumano. Começou então a haver o sequestro dos povos africanos e o transporte em navios que atravessavam os continentes para a venda onde os senhores de engenho aguardavam para escolher entre as pessoas traficadas quais comprariam e teriam como propriedade.

IMAGEM 3 - Armazenamento de pessoas escravizadas em um navio de transporte Transatlântico com quatro conveses negreiros. Planta do navio “Vigilante”.