EVENTO ONLINE QUE PROMOVE PROTAGONISMO DAS MULHERES NEGRAS ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS

Visando a inclusão e a acessibilidade, toda a programação contará com intérpretes de libras.



Julho é o mês da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, mês importante para lembrar que a luta pelo fim do racismo e discriminação de gênero não pode parar. Nos dias 24 e 25 de julho será realizado o Congresso “Mulheres Negras: entre dororidade e multipotencialidade”. Realizado pela Abayomi Juristas Negras e a Comissão de Igualdade Racial da OAB/PE, em parceria com a Uninabuco-Recife e o Governo do Estado de Pernambuco, o evento será online, transmitido pelo canal da universidade parceira.

O incentivo à diversidade marcam a iniciativa. Haverá intérpretes de libras para que a população surda também possa ter acesso à programação: "quando o assunto é inclusão ainda existe muito o que caminhar, mas estamos fazendo a nossa parte e esse público, certamente, será muito bem-vindo", concluiu Manoela Alves, professora, ativista e Presidenta da Comissão de Igualdade Racial da OAB/PE.

Composto por painéis de discussões e atrações musicais, o evento já conta com a presença de nomes inspiradores como o da escritora Vilma Piedade (RJ) - autora do livro Dororidade -, da Juíza Criminal Karen Luise (RS), da Promotora de Justiça Lívia Sant'Anna Vaz (BA), entre outras mulheres de relevância nas carreiras jurídica e na produção de saberes.

De acordo com Chiara Ramos, uma das fundadoras da coletiva Abayomi Juristas Negras, “Foram anos de apagamento da nossa relevância intelectual, agora é hora de ocuparmos os espaços de poder e saber que nos foram negados por séculos. Seja na academia, através do ensino e da pesquisa, seja no sistema de justiça, que ainda é majoritariamente branco”.

Conforme censo divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça, apenas 15,6% dos magistrados(as) se autodeclaram como pessoas negras. Interseccionando entre gênero e raça, pode-se observar que apenas 553 dos 10.782 cargos de juiz(a) no Brasil são ocupados por mulheres negras. E ainda, ao verificar todos os cargos de poder no Sistema de Justiça (Procuradoras Federais, da Fazenda Nacional e do Trabalho, Juízas Federais, Estaduais e do Trabalho, e Advogadas da União) foi possível identificar que menos de 5% das vagas são ocupadas por mulheres negras.

E esse foi um dos principais motivos para um grupo de juristas negras criarem a Abayomi Juristas Negras, uma coletiva de afroempreendedorismo social cujo o propósito é combater estrategicamente o racismo estrutural, ofertando capacitação, aperfeiçoamento, empoderamento e treinamento de alta qualidade, a fim de criar condições efetivas de inclusão da população negra em espaços de poder e saber, focando, principalmente, na ocupação de cargos nos órgãos que compõem o Sistema de Justiça Brasileiro.

Serviço

Datas: 24/07, das 19h às 21h30.

25/07, das 9h às 12h.

Inscrições: http://abre.ai/julhodaspretas2020

Instagram: @abayomijuristasnegras

Assessoria Abayomi Juristas Negras

24 visualizações
contato
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

© 2020 por ABAYOMI Juristas Negras. Fotos de Luana Cruz (@luanacruzfoto).
Criado orgulhosamente com Wix.com