Produtividade possível e otimização dos estudos

Quando se pensa em produtividade, surge uma enxurrada de dicas, técnicas e métodos, ensinados com a promessa de aumentar a produtividade. Mas o que, de fato, significa ser uma pessoa produtiva? Dar conta de todas as demandas? Apresentar alto rendimento em todas as funções que desempenha? Estar sempre produzindo algo, cumprindo uma meta, um objetivo, sem deixar pendências e ainda ser imune à procrastinação? Será que esses são sinônimos de produtividade?


Chamo atenção para o fato que a visão comumente divulgada a respeito de produtividade é sustentada em uma lógica capitalista e neoliberal, que opera no sentido de domesticação e alienação das pessoas, não podendo ser aplicada a todos os contextos de sociedades, a cada dia mais plurais e complexas. O conceito apresentado aqui é um pouco diferente desse tão difundido e recebe o nome de produtividade possível. Nesta perspectiva, a produtividade é vista como uma aliada no seu dia a dia, pois lhe ajuda a organizar e a gerenciar o tempo entre as suas demandas, e não transforma sua vida em um eterno checklist. Desse modo, você consegue ter um panorama melhor de suas atividades, desenvolver o foco e otimizar o tempo dedicado a cada uma delas, podendo investir mais tempo no que é de fato importante para você.


Vou falar especificamente sobre produtividade e otimização do tempo voltada para os estudos, mas essas dicas podem facilmente ser aplicadas em várias outras áreas da sua vida. A produtividade é um aspecto com diversas particularidades, mas o que geralmente se esquece é que desenvolver essa habilidade tem mais a ver com autoconhecimento, do que com método propriamente dito. (Não estou dizendo que as técnicas não são importantes, de maneira nenhuma! Elas ajudam muito e orientam o caminho, mas o que funciona para uma pessoa, não necessariamente funciona para todas! Aí é que entra o autoconhecimento como elemento primordial!) Aqui vão alguns direcionamentos para iniciar nessa jornada:


Comece se conhecendo: Você sabe quanto tempo leva para realizar uma atividade específica? Por quanto tempo consegue estudar com foco? Demora mais tempo lendo a legislação, resolvendo questões ou fazendo anotações e resumos? Conhecer o seu ritmo é crucial para entender como você funciona e, assim, planejar suas atividades de modo mais realista. Esse é um passo fundamental, também, para minimizar a chance de frustração por não alcançar um padrão muito exigente de produção, para além do que você consiga entregar. Uma boa forma de começar é registrando suas sessões de estudo. Por exemplo: Fazer blocos de 25 minutos de leitura e ir registrando a quantidade de páginas lidas em cada bloco. Após algumas semanas será possível visualizar uma média de páginas lidas em cada um desses blocos, o que lhe possibilitará estimar o seu ritmo de leitura. O mesmo exercício pode ser usado em outras atividades.


Descubra seu pico de produtividade: Algumas pessoas acordam cheias de energia, outras rendem melhor à noite. Nós temos relógios biológicos diferentes, que são influenciados por uma série de fatores genéticos e ambientais, conhecendo melhor seu organismo você pode otimizar muito suas sessões de estudo, contribuindo na concentração e, consequentemente, na fixação dos conteúdos. Por isso, procure estudar em horários diversos, mantendo o mesmo horário por certo tempo, e observe como se sente antes, durante e depois desses períodos, avalie como fica o seu rendimento até perceber qual horário mais se adequa a você. Para testar essa estratégia, é importante manter o mesmo horário por um tempo (no mínimo duas semanas) e só aí mudar.


Cuide da organização interna e externa: Para ter um melhor desempenho na hora de estudar, é necessário indicar para o seu cérebro que aquele é o momento de focar. Para isso, é importante se organizar internamente: elimine distrações, faça exercícios de respiração, alimente-se adequadamente. E organize-se também externamente: estabeleça o “seu” local de estudo, organize-o, retirando o que não é necessário, separando o material que vai usar. À medida que esses rituais vão sendo repetidos e consolidados, eles se tornam uma espécie de gatilho mental que te ajudam no foco e concentração, informando ao seu cérebro e ao seu corpo que este é o momento de estudar.


Registre seu progresso: O cérebro humano é viciado em substâncias estimulantes, essas substâncias, também conhecidas de hormônios, são produzidas pelo próprio corpo e desencadeadas por uma série de coisas, uma delas é a chamada sensação de maestria. A maestria é a sensação de realizar algo importante, que te faz sentir competente, útil e capaz. Para senti-la não é necessário realizar algo muito grandioso, qualquer realização, por menor que seja, é capaz de desencadear essa sensação. Por exemplo, quando você escreve uma meta em um papel e depois de cumprir vai lá e marca como feito, o seu cérebro registra como uma vitória, algo realizado e conquistado. O resultado disso? Uma descarga de endorfina e serotonina que geram uma sensação de bem estar e autoeficácia. Outra consequência é registrar na sua mente que estudar é uma atividade prazerosa, tornando-a, assim, desejada. Por isso, registre cada um de seus progressos, cada meta cumprida e deixe isso uma área visível, para ter sempre acesso ao caminho que você já percorreu.


Rende bem quem descansa bem: Outro aspecto muitas vezes negligenciado na produtividade é o descanso. Muitas vezes as pausas são vistas como uma perda de tempo, mas, na verdade, elas são fundamentais no processo de aprendizagem. O ser humano não tem a capacidade de manter o foco por muitas horas sem interrupção, ao atingir o pico de concentração, é necessária uma pausa para retomada posterior. Por isso, é importante compreender que os momentos de pausa fazem parte do estudo. Estabeleça e respeite seus momentos de descanso, tanto aqueles menores, que acontecem ao longo do dia, quanto os maiores e restauradores, como o sono.


Essas orientações podem parecer simples, mas quando são incorporadas na rotina se mostram altamente eficazes no processo de estudo. Como você vai saber o que funciona para você? Testando! Adianto que não é do dia para noite que tudo se encaixa e você tem todas as respostas, é um processo, que vale a pena percorrer. Uma vez que você compreende o que se enquadra melhor e o modo de funcio